A importância do paisagismo em edifícios

Jardim

O Jardim é um espaço que valoriza muito seu imóvel, seja pela beleza, ou pela possibilidade de passar um tempo em contato com a natureza sem sair de casa. E não importa se o seu espaço é pequeno, mesmo um jardim simples, já pode proporcionar bons momentos ao ar livre. Neste artigo vamos apresentar algumas dicas para ajudar a você compreender melhor o que de fato é paisagismo, jardinagem e cuidados que precisamos ter.  Vamos às dicas!

Seja em uma varanda, um quintal apertado ou em um edifício, a composição dos elementos de um jardim faz toda a diferença para o visual e a sensação de bem-estar em um espaço. Sempre que pensamos em montar uma casa ou apartamento, damos maior atenção aos móveis, aproveitamento do espaço, cores das paredes e design de objetos, mas muitas vezes nos esquecemos de um ponto simplesmente essencial de um projeto: paisagismo e jardinagem.

  • Diferença

Jardinagem ou paisagismo? Uma das maiores confusões que até mesmo arquitetos formados fazem é acreditar que os dois termos são sinônimos. Enquanto um se ocupa em produzir jardins, o outro procura produzir espaços funcionais, úteis, eficientes e tecnicamente viáveis (usando a jardinagem eventualmente como estratégia para obter tais resultados).

No paisagismo residencial é que se costuma ocorrer muita confusão entre o que é jardinagem e o que é paisagismo. Pingos-de-ouro ao longo dos caminhos, buchinhos e agaves junto aos muros não costumam ser nada além de simples jardinagem – uma das ferramentas usadas no paisagismo. Já a correta definição dos caminhos, acessos, tipos de pisos, traçado do muro, funções de cada área do quintal e definição das espécies vegetais segundo o uso ali esperado formam um conjunto de itens bastante importantes em projetos de paisagismo residencial de fato.

Paisagismo em Edifícios

Engana-se quem pensa que o paisagismo se restringe ao plantio de algumas espécies de plantas e que servem apenas para decorar. Tal tipo de decoração serve para dar um toque especial à construção. Ele aproxima as pessoas da natureza e deixa o ambiente mais agradável. Além disso, uma pesquisa realizada em 2011, pela Husqvarna, empresa sueca de equipamentos de jardinagem, mostrou que a valorização média de um imóvel com áreas verdes bem cuidadas chegou a 16%.

Essa pesquisa revela uma tendência forte em investir nas áreas verdes, pois antigamente as pessoas substituíam os jardins por calçadas, acreditando na praticidade. Com isso, os espaços verdes diminuíam. Hoje, a situação mudou e um arquiteto paisagista está sendo cada vez mais valorizado e participando da construção de um empreendimento desde às primeiras fases. Ele analisa a melhor posição do sol da manhã para a piscina, por exemplo, é ele também quem define a melhor posição de uma praça de lazer e de uma quadra de esportes.

  • Referências

Inicialmente, escolha com critério a empresa que fará as obras no jardim. Na hora de procurar um profissional para fazer o serviço, fique atento. Procure indicações, conheça trabalhos anteriores e procure profissionais habilitados. Isso é importante, pois um trabalho mal-
feito pode gerar problemas ao edifício ou à casa. Primeiro, peça o mesmo orçamento para diversas empresas (por exemplo: troca de grama e execução de um canteiro de flores). Com o pedido feito de forma idêntica, pode-se avaliar quem tem o melhor preço. Outra idéia é conversar com o paisagista ou o responsável pelos serviços. Procure saber da sua formação e se ele é filiado a alguma instituição ou associação de classe (como a Associação Nacional de Paisagismo ou de seu estado).

  • Tamanhos

O segundo passo a se decidir é em relação a área que será dedicada a jardinagem. Por isso, lembre-se que quanto maior o espaço verde, mais tempo será necessário para a manutenção.

Fachada jardim

  • Tipos de Plantas

A decisão das plantas deve ser de acordo com o seu gosto pessoal, mas você também deve considerar pontos como exposição ou não ao sol, umidade do local, tamanho e manutenção. Por exemplo, se a ideia é ter um jardim bem florido é preciso muita dedicação, mas se você quer plantas, leve em conta que árvores grandes não ficam bem em pequenos espaços, por isso os arbustos são ideais. Ao escolher as plantas, deve-se atentar para os aspectos ambientais, como profundidade do solo e recursos naturais disponíveis (água, luz, temperatura, vento, etc.). Plantas mais velhas e maiores são mais caras mas, em compensação, mais cedo oferecem um jardim cheio.

Tipos de plantas para jardim externo edifício

Use e abuse de plantas adaptadas à região e às condições climáticas, que dão menos problemas de doenças e manutenção. Já algumas espécies, apesar da moda, não são indicadas para jardins de condomínios. É o caso do ficus benjamina, das chefleras e das brassaias. Apesar de bonitas, de crescerem rápido e darem pouca manutenção, elas enraízam nos encanamentos, entupindo-os; abrem fendas em lajes, destroem rodapés e causam sérios problemas de infiltração de água.

  • Trate o solo

Antes de plantar, verifique as condições do solo. Caso a terra não seja fértil, é necessário nutrir a área, e para isso um profissional da área de jardinagem é essencial, caso contrário você pode matar as plantinhas com falta ou excesso de adubação. Devemos observar também que existem diferenças importantes na elaboração de jardins residenciais e de condomínios. Nas residências, geralmente se trabalha sobre o terreno natural, e nos condomínios, principalmente os verticais, o projeto é desenvolvido sobre laje, a qual geralmente serve de cobertura para as garagens, nos subsolos. Isso necessita de cuidados especiais, como a impermeabilização dessas lajes, a qual deve ser feita com manta asfáltica, e sempre com a consultoria de empresa especializada.

Paisagismo Frontal

Além disso, temos que tomar cuidados quanto às espécies escolhidas para a composição dos jardins, principalmente com relação ao porte (muitas vezes os espaços são pequenos), às raízes (para que a impermeabilização não sofra danos), e à insolação (importante para o desenvolvimento das espécies), pois raízes de árvores plantadas muito próximas à uma construção pode gerar danos aos alicerces ou tubulações. Outros problemas são os entupimentos de calhas, riscos com o telhado e à fiação dos postes de iluminação. Sendo assim, é interessante que haja a consultoria de profissional qualificado, seja ele, um arquiteto ou um paisagista.

  • Itens decorativos

Um belo jardim é capaz de valorizar a fachada, transformando a entrada dos edifícios em áreas mais aconchegantes e descontraídas. O jardim faz com que tanto os moradores, como visitantes, sejam bem recebidos no local. Afinal, é na área verde da nossa residência onde procuramos deixar o estresse e as preocupações de lado, e nos permitimos relaxar, aproveitar o momento e recuperar as energias após um longo dia. E no projeto de paisagem de um edifício, o importante é garantir que todas as áreas livres tenham algum uso ou função, nem que este seja meditação e contemplação.

Para criar uma interação entre natureza e convivência, vários materiais podem ser empregados. Invista não só em plantas e flores, mas também em itens para compor o jardim, como cascas de árvores, troncos, correntes, pedras, cadeiras, bancos e redes, ou seja, materiais e acessórios dos mais diversos, tendo uma preocupação estética e funcional (o que gera praticidade) direcionando a escolha das espécies de plantas e dos arranjos a serem adotados. Assim você vai ter um pequeno espaço aconchegante para aproveitar em meio a natureza.

Jardim frontal relaxante edifício

  • Custos e manutenção

Muitas vezes, o paisagismo se torna supérfluo pela impressão errônea de se tratar de um investimento alto, ao contrário da verdadeira realidade. O custo, geralmente, pode ser facilmente adaptado às condições dos moradores, sempre resultado de um diálogo entre proprietário e o arquiteto ou paisagista responsável pelo projeto.

Depois do jardim implantado com as plantas adequadas, é hora de pensar na manutenção. A sua periodicidade, geralmente, é proporcional ao tipo e tamanho do jardim e das espécies utilizadas. Não há regras e tudo deve ser baseado no projeto. Por exemplo, um jardim de plantas anuais, para estar sempre florido, exige troca frequente de mudas, a cada 2 meses, aproximadamente. É fundamental entregar a manutenção para um profissional preparado: há adubos específicos para cada ocasião e cada tipo de planta e remédios adequados para determinadas pragas.

Manutenção Jardim

Algumas plantas precisam de podas regulares. Outras, se podadas, são irremediavelmente prejudicadas. Portanto, uma manutenção adequada pode ser feita a cada quinze dias, um mês ou até dois meses. Tudo depende do tipo de vegetação que foi implantada e dos cuidados que elas necessitam.

Resumindo, ter um jardim em casa é uma excelente maneira de manter o contato com a natureza na sua forma mais bonita, harmonizando com o restante do ambiente e trazendo um local de meditação, beleza e tranquilidade para sua casa. O paisagismo pode ajudar a residência a ter uma relação mais amigável com o espaço público, fazendo transições espaciais mais simpáticas e convidativas. Ele também vai permitir que todo o espaço do quintal tenha uma função otimizando o espaço e valorizando o conjunto como um todo.

O paisagismo é super importante para as construções. Ele também é responsável em atrair o contato dos moradores com a fauna e a flora. Nós da Borgesi engenharia nos preocupamos e investimos em projetos de paisagismo com este intuito e com foco na qualidade de vida dos moradores do condomínio. Seguindo a tendência dos projetos que priorizam os conceitos de funcionalidade e comodidade, o Edifício Pitágoras privilegia um enorme jardim frontal de 200 m² com um pequeno pomar, playground para as crianças e uma área gourmet integrada para passar aos usuários a boa impressão de um espaço trabalhado junto a natureza.

Ed. Pitágoras - Perspectiva Espaço lazer

Entre em contato e saiba mais sobre as nossas unidades!

Convívio Social dentro do Apartamento: Sala Estar, Jantar, Cozinha e Varanda Gourmet

Amigos convívio social

Imagina ter um espaço em casa que seja assim, super criativo e confortável, para poder curtir com a família e os amigos? Por isso a dica hoje é sobre o convívio social nas diversas áreas da sua casa com toque de requinte, sofisticação e praticidade!

Para começar, é muito importante atentarmos para a definição de três coisas:

  • A primeira é para a escolha de cores, pois influenciam no humor e na vida das pessoas que ali ficarão.
  • Os materiais também são muito importantes, pois terão que dar aconchego para os ambientes.
  • E por último mas não menos importante, é a funcionalidade, pois este fator conta muito para deixar os ambientes práticos para serem explorados e mantidos.

Importante salientar que os apartamentos hoje estão bem menores e os moradores recebendo mais convidados.

Amigos convívio social

A principal dica na hora decorar, e isso vale para qualquer ambiente da casa, é planejar o projeto de acordo com as limitações do espaço. O primeiro passo para o conforto é priorizar a circulação entre os móveis e não dispor peças maiores que a metragem disponível. O equilíbrio é fundamental, até mesmo para a harmonia das estampas e cores.

No caso das cozinhas integradas, por exemplo, tudo mudou com o passar dos anos. Antigamente as cozinhas eram um local frequentado apenas por cozinheiras; as refeições eram servidas nas copas ou nas salas de jantar.

Convívio social cozinha integrada

Essa modificação começou através de pequenas aberturas da cozinha para o ambiente de jantar pelas quais os pratos eram passados. Em seguida vieram os balcões e bancadas em vãos abertos, mais conhecidas como cozinhas americanas. As cozinhas americanas caíram no gosto dos brasileiros, pela sua praticidade e integração com os familiares e convidados. O papo gira ao redor da mesa de jantar ou bancadas, que integra a cozinha no restante da sala. Vale salientar que o espaço tem que ser charmoso e a decoração caprichada desde a escolha dos utensílios, cores dos móveis da cozinha etc. Para não errar na escolha das cores e estampas é importante identificar o estilo de decoração e o design da mobília inserida nas salas de jantar e estar, para uma correta composição.

Convívio social amigos

Não podemos deixar de dar atenção também à sala de estar que normalmente está ligada com a de jantar. Este ambiente é dedicado para o descanso, descontração e convívio social da família. Por ser um dos ambientes mais visitados da casa, merece uma decoração especial que transmita tranquilidade, sensação de relaxamento e principalmente que mostre a personalidade de todos aqueles que dividem a casa com você.

Convívio social sala de jantar

A escolha das cores em móveis e estampas tem que ser bem pensada e harmonizada com o restante. No mobiliário vale a pena investir em um bom e confortável sofá, poltronas, tapetes, almofadas e estantes para a TV. Evidenciar elementos da marcenaria, como prateleiras que recebem luz embutida, ou a mesa de centro e de jantar com um lustre baixo e de luz quente, funciona bem. A ideia é que a iluminação desses espaços seja versátil. Além disso, não esqueça que a escolha dos revestimentos das paredes e pisos são fundamentais, pois são eles que determinarão, além do decorativo, a temperatura dos ambientes.

A iluminação é um dos elementos mais envolventes da decoração, além de ser fundamental para dar o clima certo a cada tipo de ambiente, ela também está ligada ao nosso metabolismo e influencia diretamente na nossa qualidade de vida. Seja dentro de casa ou em áreas afins, o uso correto da luz interfere, e muito, na dinâmica dos espaços.

Sala de estar luxo convívio social

A cor não pode ser deixada de lado, pois deixam os ambientes jovens e alegres. A utilização em móveis, almofadas, quadros e adornos ajudam bastante para dar este clima alegre e vibrante. Fotografias de pessoas da casa e amigos especiais dão vida e alimentam recordações com boas conversas. Já os tons neutros é a opção ideal para quem gosta de renovar sempre com frequência o ambiente, pois permite alterar os objetos simples como almofadas, flores e enfeites que darão uma aparência renovada ao cômodo.

Sala de estar moderna

Já a varanda gourmet passou a ser o espaço preferido para o convívio social e familiar, por isso o crescimento da procura desse ambiente nos novos projetos de apartamentos. A “varanda gourmet” é na teoria um espaço com churrasqueira, mas o termo ficou tão popular que é usado para denominar qualquer varanda que tenha espaço suficiente para se ter qualquer tipo de convívio. Seja ela com churrasqueira ou não, o fato é que cada vez mais os compradores buscam esse tipo de característica nos apartamentos e muitas vezes pode até ser o fator principal na escolha de um imóvel.

Varanda gourmet convívio social

Uma varanda gourmet precisa basicamente de três itens: churrasqueira, pia e uma pequena área de circulação (área de estar) onde ficarão posicionados alguns mobiliários. Um espaço como esse tem que ser confortável e funcional para que a experiência seja realmente de descontração total. A decoração pode seguir a linha dos outros ambientes, mas é sempre bom dar uma colorida e usar móveis de madeira rústicos para dar um ar alegre e aconchegante. As bancadas têm que ser práticas, de materiais apropriados e de fácil manutenção e limpeza.

Varanda gourmet apartamento

Todos os ambientes deverão ser bem pensados e programados para não ficarem sem harmonização. Além disso, a tendência de integrar ambientes surgiu, principalmente, para valorizar ambientes de convívio social e lazer.

Pronto! Agora você já tem várias dicas para melhorar esses espaços de convívio social e poder curtir com seus amigos e família. Conheça nossos empreendimentos prontos e visite o Ed. Pitágoras em fase final de construção, com sala de estar, jantar, varanda gourmet e muito mais! Tudo bem planejado, com acabamento alto luxo para seu maior conforto. Aproveite!

Contato marieta