EXPECTATIVAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA 2018

Certamente quem acompanha o mercado, os processos e os avanços da Engenharia Civil ano após ano, deve estar se perguntando quais são as expectativas ou tendências do setor para 2018.

A economia do Brasil esteve passando por um momento complicado. Em tempos de crise financeira é natural que todo cidadão pense duas vezes antes de fazer compras. E, é claro, isso influenciou todos os aspectos do país, inclusive, o mercado imobiliário.

Diante das crises nos anos anteriores, o segmento da construção civil encontrou um campo enorme de desafios. Passou então a focar na redução de custos,  na maior eficiência dos processos e na melhoria da rentabilidade. Com perspectivas positivas para 2018, a tendência é de que o mercado invista ainda mais em soluções tecnológicas, criatividade, construções inovadoras e com maior valor agregado.

Hoje vamos apresentar um panorama geral do desempenho do mercado e as principais previsões para 2018 para que você possa se antenar nos rumos e tendências que esse setor vem tomando. Acompanhe!

Perspectiva para 2018

O ano de 2018 será um período de recuperação para o setor da construção civil no Brasil. De acordo com a reportagem do G1, o SINDUSCON-SP projeta um crescimento de 2% desse setor para este ano.

Como a construção civil depende diretamente de financiamentos, seja para as construtoras, seja para o cliente final que busca adquirir sua casa ou apartamento, a diminuição da taxa de juros e da inflação trouxe um estímulo aos captadores desses recursos. Assim estima-se que os bancos tenham um volume maior de empréstimos e financiamentos inclusive para melhorarem seus resultados internos com um produto de grande interesse em suas carteiras.

Neste novo cenário do setor são as empresas que têm a capacidade de se adaptar e antecipar tendências que serão altamente competitivas no mercado. De início, podemos dizer que são positivas e que a área tem tudo para crescer neste ano pois os indicadores confirmam que a confiança tem crescido no setor, o que aumenta a esperança para o ano de 2018.

Retomada de crescimento

A saúde do mercado imobiliário brasileiro foi afetada pela crise financeira dos últimos anos impactando negativamente a confiança do comprador, que esteve mais cauteloso na hora de investir ou assumir dívidas de longo prazo.

Com o recuo da crise que ronda o país desde 2014, um dos setores que vem ganhando novo fôlego é a construção civil. Assim, se o ano passado teve um ritmo mais lento de trabalho, você já pode se preparar para lucrar mais em 2018. Com impacto direto no mercado da construção civil, a instabilidade da política e da economia brasileira foram os principais motivos para os resultados negativos que ocorreram nos últimos anos.

Em contrapartida, todo esse cenário, que agora está se invertendo, acabou por gerar um ciclo de oportunidades no segmento para aqueles que buscavam investir em imóveis, sobretudo na reta final desse ciclo de baixa, tornando o final de 2017 e o início de 2018 o melhor momento dos últimos tempos para comprar imóveis em condições ainda mais atraentes e vantajosas.

Os cenários são otimistas para o ano de 2018, apesar de um crescimento mais lento que a economia normal do país, espera-se que a retomada venha pela queda das taxas de juros, melhora no crédito, recuperação da economia e do mercado de trabalho. Esses fatores irão estimular mais investimentos, retomando assim a confiança dos investidores no mercado imobiliário e na construção civil.

No entanto, ainda são grandes as incertezas quanto aos investimentos públicos. Os otimistas acreditam que o governo voltará a investir nas privatizações e continuará com as concessões de crédito.

As expectativas são otimistas e o mercado deve avançar mesmo com as incertezas associadas às eleições presidenciais – que geralmente costumam trazer certa volatilidade à economia.

Crescimento no crédito do mercado imobiliário

Uma das maiores notícias do setor de imóveis é a previsão de que a taxa Selic baixe até 8% esse ano. Isso quer dizer que o crédito fique mais acessível, facilitando o financiamento imobiliário. Para os que investem na caderneta de poupança, esse dado também representa números mais atrativos.

Afinal, como vimos, se a taxa Selic cair para um patamar mais baixo, a poupança tende a ficar bem mais atrativa com a queda dos juros e produzir recursos para o setor imobiliário. No entanto, o setor imobiliário não deve depender apenas desse fator. É preciso endereçar outras fontes de captação, como, por exemplo, a letra imobiliária garantida (LIG).

Além disso, essa outra emissão de títulos ligados ao mercado imobiliário LIG (Letra Imobiliária Garantida) promete ser vantajosa para os investidores. Mais barata que a LCI (Letra de Crédito Imobiliária), a LIG foi autorizada em agosto de 2017 e conta com expectativas de triplicar os 10% do PIB que representa o crédito imobiliário no Brasil.

Em nota, o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) divulgou que está otimista com o crescimento do mercado imobiliário em 2018. Para o presidente do órgão, José Romeu Ferraz, a redução da taxa anual de juros básicos indica um aumento na atratividade das aplicações na caderneta de poupança, o que, por sua vez, amplia o acesso aos recursos de crédito imobiliário.

Na segunda alternativa, no pior dos cenários, pode haver uma recessão econômica em meio à instabilidade política. Segundo informações extraídas do estudo do Sebrae, o PIB da Construção em um cenário realista deve crescer 2,6%; em um cenário otimista, deve ter aumento de 3,3%; e já em um cenário pessimista, deve ter queda de 0,5%.

Resumindo, 2018 parece ser um ótimo ano para se investir em imóveis.

Materiais de construção

O mercado da construção civil é sem dúvida um setor muito importante para o crescimento do país. Além da sua importância para a economia ele possui responsabilidade social por gerar empregos à uma boa parcela da população.

A indústria de materiais de construção foi duramente penalizada registrando em 2017 queda de cerca de 15% nas vendas para as construtoras. “O setor fabricante de materiais fechou o ano com uma queda de faturamento real (descontando a inflação) de 5%”, informa Walter Cover, presidente Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção). Esse índice, somado aos de 2015 e de 2016, retraiu a produção de materiais e as vendas para o mesmo nível de 2007.

As vendas nas lojas e home centers cresceram 6% em 2017 no comparativo com o ano anterior. A estimativa oficial é que o PIB brasileiro cresceu 1%, puxado pelo consumo das famílias por conta de algumas medidas como a liberação do FGTS das contas inativas. E, também pela queda da inflação, principalmente no preço dos alimentos, aliviando a renda das famílias para outras despesas. Dados do IBGE confirmam o forte crescimento nas vendas do mercado da construção civil em 2017.

Diferenciais para 2018

Com uma demanda mais rigorosa, os projetos em 2018 precisam ser mais assertivos e é imprescindível que as empresas demonstrem aos seus clientes o valor de seus produtos atrelados em normatizações e sustentabilidade.

Algumas das tendências levantadas pelo estudo do Sebrae e que devem se propagar pelos próximos anos envolvem o aumento no número de mulheres como profissionais do mercado da construção civil; a concepção de construções sustentáveis; a utilização de construção enxuta; o desenvolvimento de e-learning na cadeia de construção para suprir a necessidade de qualificação de mão de obra; a criação de smart cities; e também a realização de serviços agregados.

Os últimos anos foram bastante duros para a construção civil. As boas tendências do setor vêm em boa hora e vão motivar os empresários a investir ainda mais. Entretanto é preciso cautela e planejamento para aproveitar a perspectiva de melhora que permeia o setor.

Com a perspectiva de que a queda da Selic influencie também em melhores taxas para o financiamento imobiliário e juros mais baixos, o mercado ficará mais estável e o consumidor poderá, enfim, se sentir mais confiante para a compra.

Portanto, construtoras e clientes se preparem: este é o momento ideal para novas aquisições com um melhor custo x benefício. Seja para moradia ou investimento, o mercado imobiliário é uma ótima aposta para o ano de 2018.

A Borgesi Engenharia acredita na recuperação da economia em geral, na estabilidade política econômica e na capacidade do Brasil em superar seus desafios com criatividade, ética, responsabilidade e vontade de crescer. Estamos preparados para fomentar essa recuperação e prontos para atender nossos clientes no sonho de moradia com um novo empreendimento. Venham conhecer o Ed. Albert Einstein e todas as vantagens de se comprar no lançamento. Aguardamos vocês…

Mais uma obra entregue com sucesso pela Borgesi Engenharia

Ed. Pitagoras

A Borgesi Engenharia promoveu na semana que se passou (dia 21/02/2018) a entrega do Edifício Pitágoras, empreendimento em BH situado no bairro Liberdade na região da Pampulha. A Construtora se orgulha em apresentar uma de suas obras entregues e com satisfação total do cliente!

Ed. Pitagoras

O Edifício Pitágoras é um empreendimento residencial com 14 unidades de apartamentos (03 e 04 quartos) de 142m² e 165m² com uma infraestrutura moderna, inteligente, padrão de acabamento alto luxo no melhor ponto do bairro Liberdade. Esse projeto inovador conta com Espaço Gourmet integrado ao jardim frontal, dois níveis de garagem com 04 vagas por apartamento, vestiário de serviço para diaristas, aquecimento solar, medidor de água e gás individualizados e ainda mais segurança com dois elevadores sociais com código de acesso.

Borgesi Engenharia

Com cerca de 20 anos no mercado da construção civil, nossa atividade é reconhecida pela qualidade, respeito ao cliente e confiabilidade. Especializada na construção de prédios residenciais padrão alto luxo na região nobre da Pampulha (Belo Horizonte), conquista e encanta clientes exigentes, sejam investidores ou consumidores finais.

Na reunião de entrega do Ed. Pitágoras, o próprio RT de execução e proprietário da Construtora fez questão de explicar todos os detalhes físicos e documentais preparando o condomínio com o máximo de informações possíveis nessa importante fase de transição. Os apartamentos já tinham sido entregues aos proprietários anteriormente passando por vistoria e check list no intuito de entregar absolutamente tudo em conformidade com o mais alto padrão e assertividade. Uma postura ética e responsável por parte da Construtora para assegurar o máximo de satisfação dos moradores e investidores.

Ed. Pitagoras fachada

E assim, receber as chaves do sonho de moradia é sempre uma grande realização, principalmente antes do prazo oficial para a entrega. Além de trazer um novo elemento de satisfação ao cliente, que tem, de repente, a chance de entrar mais cedo no imóvel ou disponibilizá-lo para venda / locação antes do previsto, antecipar a entrega de uma edificação é um excelente negócio para todos. Isto gera ainda mais credibilidade à Construtora junto ao mercado e nos traz um sentimento de dever cumprido alinhado com todos os valores que acreditamos ser o melhor para todos.

À seguir listamos alguns tópicos da nossa entrega definitiva:

  • Apresentação de todos os condôminos
  • Entrega aos moradores de todas as chaves e controle remoto do portão, documentação pessoal de cada apto contendo um caderno com memorial descritivo completo, indicações de fornecedores e empreiteiros, cópia do projeto arquitetônico, CD com arquivos de projetos e fotos das tubulações hidráulicas instaladas.
  • Entrega da documentação do condomínio com todos os projetos, contratos de manutenção dos elevadores, manuais de instrução, informações importantes ao bom funcionamento dos equipamentos e chaves gerais.
  • Cronograma de regularização de obra: certidão de Parques e Jardins, de Baixa e Habite-se, CND do INSS, convenção de condomínio e por fim registro definitivo com as matrículas individualizadas para posterior transferência direta aos proprietários.
  • Espaço de tempo para os condôminos levantarem questões urgentes ao condomínio (segurança eletrônica, rotinas de manutenção e convívio) independente da Construtora.

Entrega definitiva Ed. Pitagoras

Mais que a entrega de uma obra e consequente satisfação dos nossos clientes, trata-se da entrega de um sonho de moradia confiada à Borgesi.

Agradecemos à todos que fizeram e fazem parte deste empreendimento único, aos investidores, aos parceiros e à todos que empenharam para tornar este projeto uma realização de sucesso!

Equipe Borgesi Engenharia

Nós da equipe Borgesi Engenharia ficamos super honrados com este momento tão especial!

Abaixo alguns comentários de nossos clientes à respeito do Ed. Pitágoras e a experiência com a Construtora:

“Estamos muito felizes com nossa nova conquista! O Edifício Pitágoras é um sonho realizado! Empreendimento entregue no prazo e com ótimo acabamento! Parabéns a Construtora Borgesi e toda sua equipe!” – Márcia Apto 801

“Estamos felizes em fazer negócio com a Borgesi Engenharia, desde o início da negociação na aquisição de uma unidade do Ed. Pitágoras, pelo tratamento transparente e atencioso, o que perdurou durante todo o contrato, com o rigoroso cumprimento e excelência do imóvel entregue, adicionado ao alto padrão e qualidade.” – Juscelo Apto 501

“Prezados da Borgesi Engenharia, venho através deste espaço agradece-los imensamente, pois todas as etapas do empreendimento foram cumpridas com muita harmonia, organização e competência. Vocês realizaram o nosso sonho, foram além das nossas expectativas que já eram enormes… Parabéns Júlio, Fernanda e equipe.” – Anderson e família Apto 301

“Gostaríamos de registrar aqui nossa imensa satisfação com a entrega final do Ed. Pitágoras, no qual fomos investidores na unidade 502. A Construtora Borgesi demonstrou muito profissionalismo, pontualidade na entrega e altíssima qualidade que só poderia acabar num empreendimento belíssimo, impecável e diferenciado.” – Jader e Job Apto 502

4 Tipos de Pisos para seu apartamento: Piso Vinílico, Porcelanato, Mármore e Granito

Um dos maiores desafios da obra é acertar na escolha dos pisos. Escolher o revestimento ideal para seu apartamento ou casa é uma tarefa difícil, pois há muitas possibilidades no mercado de construção e isso acaba deixando os consumidores em dúvida sobre quais peças usar no revestimento e acabamento.

As opções de tipos de pisos são variadas. Existem vários modelos, cada um com diferentes funções, aparências diversas, cores e materiais diferentes. A escolha vai depender do gosto e como você irá combiná-los. Mas, afinal, quais são as vantagens e desvantagens de cada material e qual é aquele que se adapta melhor ao seu apartamento? Veja quatro dicas para acertar na escolha desses pisos para cada ambiente.

Piso Vinílico

Ed. Pitágoras – piso vinílico suíte máster

O piso vinílico é o queridinho do momento. Resistente, ele se mantém agradável sob qualquer temperatura – não é gelado no inverno e nem contribui para a sensação de calor no verão. Ele é muito requisitado, além de ser feito de materiais recicláveis como o PVC e minerais é uma ótima opção sustentável para quem pretende substituir os pisos de madeira. As principais características do piso vinílico são sua resistência, alta durabilidade e fácil manutenção, visto que um pano úmido já é o suficiente para limpar. O material não mancha, é antialérgico e tem diversas cores e formatos. A instalação é fácil e rápida e a superfície precisa estar uniforme e limpa para sua aplicação. É muito simples e pode ser feita direto sobre o piso antigo, com algumas condições. Para apartamentos é uma ótima opção, pois não faz barulho ao andar, evitando o incômodo aos vizinhos.

Pode ser aplicado em ambientes fechados e cobertos, de casas, escritórios e ambientes corporativos. O piso não é recomendado para áreas externas, úmidas ou que tenham muito contato com água, como por exemplo, o banheiro. Ele conta com um ótimo desempenho acústico e características térmicas que agregam temperaturas agradáveis aos ambientes. Também permite a personalização e inovação das peças com uma decoração diferenciada pelo material utilizado. A limpeza é simples e não requer o uso de muitos produtos. Vale lembrar que ele reage à luz, efeito que deixa a peça com maior aparência orgânica, ou seja, esse tipo de piso se assemelha visualmente a madeira comum.

Dicas de conservação do Piso Vinílico:

  • Evite molhar demais esse tipo de piso, o excesso de água pode danificar o material;
  • Nada de arrastar muito os móveis – você pode deixar marcas e até mesmo rasgar;
  • Sol direto e constante pode alterar as cores originais.

Porcelanato

Ed. Pitágoras – sala em porcelanato Portobello 60 x 120

O porcelanato é o mais usado pelos arquitetos e construtores, pois é um dos revestimentos mais populares nos projetos residenciais modernos. São vários os motivos: alta resistência à abrasão, durabilidade, grande variedade de tons e texturas. As marcas que fabricam este tipo de piso cerâmico inspira-se em outros elementos como pedra, madeira, cimento, metal, couro e tecido para formar uma gama de opções.

É o tipo mais conhecido e é facilmente é encontrado em diferentes cores, tamanhos e texturas, o que aumenta as possibilidades de acabamento. Estes se dividem em brilhantes, semi-brilhantes ou rugosos. O ponto negativo do brilhante é que ele tende a riscar mais fáceis e não deve ser colocado em áreas externas. Já nas áreas molhadas, como banhos, cozinha e lavanderia, os especialistas sugerem os padrões rugosos que são antiderrapantes.

Quanto aos tamanhos as peças mais visadas são as grandes. Os pisos grandes estão em alta, principalmente aquelas com medidas de 80 x 80 cm e 60 x 120 cm. Elas inovam as perspectivas de cada ambiente e são responsáveis por causar sensação de aconchego, principalmente quando o design aposta em cores suaves. Outra vantagem que está associada aos produtos maiores é o fato de não acumular tanta sujeira por causa do rejunte. Na hora de escolher o tamanho da peça, vale ficar atento aos recortes que terão de ser feitos para que elas se encaixem no cômodo escolhido – e também na perda de material que essas adaptações acarretam. É um piso resistente e versátil, que se adapta a muitos ambientes.

Dicas de conservação do Porcelanato:

  • Cuidado! A queda de objetos pesados pode quebrar ou danificar o piso;
  • Não use ceras e produtos químicos agressivos;
  • Na hora da limpeza, prefira vassouras de pelo macio e fique atento aos bons cuidados do rejunte.

Mármore

Ed. Pitágoras – suíte máster em Preto Semi-absoluto e Carrara Nacional

O mármore é uma peça que se destaca na arquitetura e na decoração desde sempre, nunca sai de moda! É talvez o que possui o preço mais elevado entre os pisos aqui citados. Quanto mais liso e claro for o mármore, maior o seu preço, pois são mais raros. Porém basta dar uma olhada para ver sua capacidade de aprimorar o ambiente e sofisticar a decoração.

Possui uma grande variedade de cores e formatos e seus traços combinam muito bem com espaços como living, cozinha e banheiro. Os mármores são pedras lindas pelos veios, cores, poros, por isso, são indicadas para revestimentos de áreas internas (hall, living room, sala de estar, lareiras), qualquer tipo de área que não seja especificamente área de trabalho (cozinha, área de serviço, garagem). Mas vale lembrar que nas áreas molhadas o melhor a  fazer é usar o mármore em sua forma bruta, para que o material não fique escorregadio quando entrar em contato com a água.

É um revestimento extremamente nobre e elegante. Quando a sua instalação é bem realizada, praticamente não se vê a junção entre uma peça e outra. Embora seja uma pedra derivada de um mineral nobre o mármore é menos resistente que o granito e que o porcelanato. Os acabamentos em mármore normalmente custam caro. O investimento, porém, vale muito a pena se levarmos em consideração que eles agregam beleza aos espaços e são duráveis e atemporais, já que nunca saem de moda.

Hoje em dia, a tendência é que o mármore seja adotado não só em banheiros ou cozinhas, mas que conquiste também todos os outros cômodos da casa. A clássica aplicação em pisos e bancadas convive hoje com o uso de objetos decorativos, móveis, paredes e fachadas do material. Essas peças são requintadas, e a sua estética clássica é adequada para diferentes ambientes e decorações. Por essas e outras, é preciso cuidar bem dos seus pisos e bancadas para conservá-los bonitos por muito mais tempo.

Dicas de conservação do Mármore:

  • Jamais remova sujeiras com objetos cortantes ou pontiagudos; eles podem danificar permanentemente a sua pedra;
  • Não use produtos abrasivos ou com princípio ativo forte, tais como água sanitária, amoníaco, soda cáustica, querosene, etc;
  • Na hora da limpeza, sugerimos que sejam lavados com detergente próprio (de preferência neutro) para retirada de gorduras e impurezas, podendo depois se aplicar produto impermeabilizante e, por último, cera apropriada.

Granito

Ed. Pitágoras – escada cobertura em Café Imperial

Assim como o mármore, o granito é uma rocha mineral natural composta por Quartzo, Feldspato e Mica. Porém, a diferença marcante é que o mármore tem visual mais suave, com veios na pedra menos marcados, de aparência mais delicada, enquanto o granito tem aspecto mais “granulado”, ou seja, com muitos pontinhos visíveis na pedra. Ele, com sua beleza mais sutil é a pedra ideal para esses ambientes “brutos”. O preço elevado compensa por conta da facilidade para limpar, pois depende apenas de água e produtos para higienização.

Existem vários tipos de granito, diferentes formatos, cores e desenhos – variedade que facilita o seu uso nos cômodos. É um material natural cujos destaques são sua resistência e durabilidade e esse material pode ser instalado em ambientes frios, como cozinha e banheiro e também em locais mais aconchegantes, como a sala de estar.

Dicas de conservação do piso Granito:

  • Cuidado com refrigerantes, óleos em geral, vinho, ferrugem, produtos com corantes fortes, pois podem manchar sua pedra até de forma irreversível.
  • Na limpeza, deve-se  utilizar apenas pano úmido e, se necessário, detergente neutro incolor e não se deve aplicar nenhum tipo de removedor químico, para não causar manchas na pedra;
  • Devem ser limpos assim que possível, pois a areia que esta no chão pode vir a arranhar o material com o tráfego de pessoas.

Atentando à todos esses quesitos de tendência e sofisticação, nós da Borgesi Engenharia também utilizamos estes pisos em nossos empreendimentos. O Edifício Pitágoras é um projeto inovador, moderno, inteligente e com acabamento padrão alto luxo. As nossas unidades contam com piso em porcelanato 60 x 120 cm na sala e circulação interna.

Para garantir conforto, charme e temperatura agradáveis no ambiente a escolha para os quartos foi o piso vinílico de 3mm de espessura da marca Episo. Nos banhos das suítes e semi suítes o piso em porcelanato é de 60 x 60 cm, lavatórios com bancadas e nichos de dentro do Box em granito Branco Marfim. Já na suíte máster os lavatórios com bancadas e nichos são no mármore Carrara Nacional e o piso em granito Preto Semi-absoluto.

Na cozinha também é utilizado o porcelanato de tamanho 60 x 120 cm e pia com bancada em granito Preto Semi-absoluto. Nas varandas gourmet foi instalado o granito Marrom Absoluto.

Nas áreas privativas e coberturas o piso das áreas externas são em porcelanato rústico 60 x 60 cm. Este piso é ideal para essas áreas pois pode ser usado em ambientes internos mas é mais funcional em espaços externos como área de piscina,  lavanderia, varandas e locais próximos aos decks e jardins. Sua grande vantagem é sua textura mais rugosa, logo, antiderrapante. Na cobertura utiliza-se além do granito preto Semi-absoluto nas bancadas, o granito Café Imperial na escada e no balcão em Ilha da área gourmet externa.

Venham então conhecer nosso alto padrão de acabamento e todos esses materiais nobres já instalados nos apartamentos do Ed. Pitágoras. Respeitamos e valorizamos nossos clientes com produtos e serviços da mais alta excelência, duráveis e de extremo bom gosto. Esse é o nosso jeito de construir e é assim que a Construtora Borgesi acredita que irá atender o sonho de moradia de nossos clientes!

A importância do paisagismo em edifícios

Jardim

O Jardim é um espaço que valoriza muito seu imóvel, seja pela beleza, ou pela possibilidade de passar um tempo em contato com a natureza sem sair de casa. E não importa se o seu espaço é pequeno, mesmo um jardim simples, já pode proporcionar bons momentos ao ar livre. Neste artigo vamos apresentar algumas dicas para ajudar a você compreender melhor o que de fato é paisagismo, jardinagem e cuidados que precisamos ter.  Vamos às dicas!

Seja em uma varanda, um quintal apertado ou em um edifício, a composição dos elementos de um jardim faz toda a diferença para o visual e a sensação de bem-estar em um espaço. Sempre que pensamos em montar uma casa ou apartamento, damos maior atenção aos móveis, aproveitamento do espaço, cores das paredes e design de objetos, mas muitas vezes nos esquecemos de um ponto simplesmente essencial de um projeto: paisagismo e jardinagem.

  • Diferença

Jardinagem ou paisagismo? Uma das maiores confusões que até mesmo arquitetos formados fazem é acreditar que os dois termos são sinônimos. Enquanto um se ocupa em produzir jardins, o outro procura produzir espaços funcionais, úteis, eficientes e tecnicamente viáveis (usando a jardinagem eventualmente como estratégia para obter tais resultados).

No paisagismo residencial é que se costuma ocorrer muita confusão entre o que é jardinagem e o que é paisagismo. Pingos-de-ouro ao longo dos caminhos, buchinhos e agaves junto aos muros não costumam ser nada além de simples jardinagem – uma das ferramentas usadas no paisagismo. Já a correta definição dos caminhos, acessos, tipos de pisos, traçado do muro, funções de cada área do quintal e definição das espécies vegetais segundo o uso ali esperado formam um conjunto de itens bastante importantes em projetos de paisagismo residencial de fato.

Paisagismo em Edifícios

Engana-se quem pensa que o paisagismo se restringe ao plantio de algumas espécies de plantas e que servem apenas para decorar. Tal tipo de decoração serve para dar um toque especial à construção. Ele aproxima as pessoas da natureza e deixa o ambiente mais agradável. Além disso, uma pesquisa realizada em 2011, pela Husqvarna, empresa sueca de equipamentos de jardinagem, mostrou que a valorização média de um imóvel com áreas verdes bem cuidadas chegou a 16%.

Essa pesquisa revela uma tendência forte em investir nas áreas verdes, pois antigamente as pessoas substituíam os jardins por calçadas, acreditando na praticidade. Com isso, os espaços verdes diminuíam. Hoje, a situação mudou e um arquiteto paisagista está sendo cada vez mais valorizado e participando da construção de um empreendimento desde às primeiras fases. Ele analisa a melhor posição do sol da manhã para a piscina, por exemplo, é ele também quem define a melhor posição de uma praça de lazer e de uma quadra de esportes.

  • Referências

Inicialmente, escolha com critério a empresa que fará as obras no jardim. Na hora de procurar um profissional para fazer o serviço, fique atento. Procure indicações, conheça trabalhos anteriores e procure profissionais habilitados. Isso é importante, pois um trabalho mal-
feito pode gerar problemas ao edifício ou à casa. Primeiro, peça o mesmo orçamento para diversas empresas (por exemplo: troca de grama e execução de um canteiro de flores). Com o pedido feito de forma idêntica, pode-se avaliar quem tem o melhor preço. Outra idéia é conversar com o paisagista ou o responsável pelos serviços. Procure saber da sua formação e se ele é filiado a alguma instituição ou associação de classe (como a Associação Nacional de Paisagismo ou de seu estado).

  • Tamanhos

O segundo passo a se decidir é em relação a área que será dedicada a jardinagem. Por isso, lembre-se que quanto maior o espaço verde, mais tempo será necessário para a manutenção.

Fachada jardim

  • Tipos de Plantas

A decisão das plantas deve ser de acordo com o seu gosto pessoal, mas você também deve considerar pontos como exposição ou não ao sol, umidade do local, tamanho e manutenção. Por exemplo, se a ideia é ter um jardim bem florido é preciso muita dedicação, mas se você quer plantas, leve em conta que árvores grandes não ficam bem em pequenos espaços, por isso os arbustos são ideais. Ao escolher as plantas, deve-se atentar para os aspectos ambientais, como profundidade do solo e recursos naturais disponíveis (água, luz, temperatura, vento, etc.). Plantas mais velhas e maiores são mais caras mas, em compensação, mais cedo oferecem um jardim cheio.

Tipos de plantas para jardim externo edifício

Use e abuse de plantas adaptadas à região e às condições climáticas, que dão menos problemas de doenças e manutenção. Já algumas espécies, apesar da moda, não são indicadas para jardins de condomínios. É o caso do ficus benjamina, das chefleras e das brassaias. Apesar de bonitas, de crescerem rápido e darem pouca manutenção, elas enraízam nos encanamentos, entupindo-os; abrem fendas em lajes, destroem rodapés e causam sérios problemas de infiltração de água.

  • Trate o solo

Antes de plantar, verifique as condições do solo. Caso a terra não seja fértil, é necessário nutrir a área, e para isso um profissional da área de jardinagem é essencial, caso contrário você pode matar as plantinhas com falta ou excesso de adubação. Devemos observar também que existem diferenças importantes na elaboração de jardins residenciais e de condomínios. Nas residências, geralmente se trabalha sobre o terreno natural, e nos condomínios, principalmente os verticais, o projeto é desenvolvido sobre laje, a qual geralmente serve de cobertura para as garagens, nos subsolos. Isso necessita de cuidados especiais, como a impermeabilização dessas lajes, a qual deve ser feita com manta asfáltica, e sempre com a consultoria de empresa especializada.

Paisagismo Frontal

Além disso, temos que tomar cuidados quanto às espécies escolhidas para a composição dos jardins, principalmente com relação ao porte (muitas vezes os espaços são pequenos), às raízes (para que a impermeabilização não sofra danos), e à insolação (importante para o desenvolvimento das espécies), pois raízes de árvores plantadas muito próximas à uma construção pode gerar danos aos alicerces ou tubulações. Outros problemas são os entupimentos de calhas, riscos com o telhado e à fiação dos postes de iluminação. Sendo assim, é interessante que haja a consultoria de profissional qualificado, seja ele, um arquiteto ou um paisagista.

  • Itens decorativos

Um belo jardim é capaz de valorizar a fachada, transformando a entrada dos edifícios em áreas mais aconchegantes e descontraídas. O jardim faz com que tanto os moradores, como visitantes, sejam bem recebidos no local. Afinal, é na área verde da nossa residência onde procuramos deixar o estresse e as preocupações de lado, e nos permitimos relaxar, aproveitar o momento e recuperar as energias após um longo dia. E no projeto de paisagem de um edifício, o importante é garantir que todas as áreas livres tenham algum uso ou função, nem que este seja meditação e contemplação.

Para criar uma interação entre natureza e convivência, vários materiais podem ser empregados. Invista não só em plantas e flores, mas também em itens para compor o jardim, como cascas de árvores, troncos, correntes, pedras, cadeiras, bancos e redes, ou seja, materiais e acessórios dos mais diversos, tendo uma preocupação estética e funcional (o que gera praticidade) direcionando a escolha das espécies de plantas e dos arranjos a serem adotados. Assim você vai ter um pequeno espaço aconchegante para aproveitar em meio a natureza.

Jardim frontal relaxante edifício

  • Custos e manutenção

Muitas vezes, o paisagismo se torna supérfluo pela impressão errônea de se tratar de um investimento alto, ao contrário da verdadeira realidade. O custo, geralmente, pode ser facilmente adaptado às condições dos moradores, sempre resultado de um diálogo entre proprietário e o arquiteto ou paisagista responsável pelo projeto.

Depois do jardim implantado com as plantas adequadas, é hora de pensar na manutenção. A sua periodicidade, geralmente, é proporcional ao tipo e tamanho do jardim e das espécies utilizadas. Não há regras e tudo deve ser baseado no projeto. Por exemplo, um jardim de plantas anuais, para estar sempre florido, exige troca frequente de mudas, a cada 2 meses, aproximadamente. É fundamental entregar a manutenção para um profissional preparado: há adubos específicos para cada ocasião e cada tipo de planta e remédios adequados para determinadas pragas.

Manutenção Jardim

Algumas plantas precisam de podas regulares. Outras, se podadas, são irremediavelmente prejudicadas. Portanto, uma manutenção adequada pode ser feita a cada quinze dias, um mês ou até dois meses. Tudo depende do tipo de vegetação que foi implantada e dos cuidados que elas necessitam.

Resumindo, ter um jardim em casa é uma excelente maneira de manter o contato com a natureza na sua forma mais bonita, harmonizando com o restante do ambiente e trazendo um local de meditação, beleza e tranquilidade para sua casa. O paisagismo pode ajudar a residência a ter uma relação mais amigável com o espaço público, fazendo transições espaciais mais simpáticas e convidativas. Ele também vai permitir que todo o espaço do quintal tenha uma função otimizando o espaço e valorizando o conjunto como um todo.

O paisagismo é super importante para as construções. Ele também é responsável em atrair o contato dos moradores com a fauna e a flora. Nós da Borgesi engenharia nos preocupamos e investimos em projetos de paisagismo com este intuito e com foco na qualidade de vida dos moradores do condomínio. Seguindo a tendência dos projetos que priorizam os conceitos de funcionalidade e comodidade, o Edifício Pitágoras privilegia um enorme jardim frontal de 200 m² com um pequeno pomar, playground para as crianças e uma área gourmet integrada para passar aos usuários a boa impressão de um espaço trabalhado junto a natureza.

Ed. Pitágoras - Perspectiva Espaço lazer

Entre em contato e saiba mais sobre as nossas unidades!

Tempos de crise: Dicas que sua empresa pode usar para se manter forte e melhorar resultados

Crise econômica

O mercado continua sinalizando para os próximos meses uma dificuldade maior em diversos setores no país. Com este cenário de instabilidade, empresas de diversos segmentos terão de ajustar seus negócios e estratégias à uma nova realidade onde cada venda irá gerar um esforço mais assertivo.

Neste post iremos falar sobre como algumas ações podem contribuir para contornar os efeitos negativos da crise econômica e proporcionar vários benefícios para as empresas. É o lado bom das dificuldades que chegam à nós para melhorarmos nossos serviços e produtos. Confira!

Crise econômica parada

Em tempos de crise, muitos gestores se veem pressionados a criar e adotar medidas que contribuam para o aumento da eficiência de seus processos e a redução de custos. No ramo da construção civil por exemplo,  imóveis já não são vendidos com tanta facilidade em determinadas áreas específicas. Há até mesmo uma boa quantidade de imóveis de baixa qualidade ou problemas construtivos que estão sofrendo com baixa liquidez e desvalorização acelerada. Mas, quando o cenário econômico não é favorável, quem quiser continuar no mercado precisará mudar um pouco seu foco de atuação.

Crise nas construções

O cenário econômico desfavorável reduziu a oferta de crédito, diminuiu o número de lançamentos e deixou o consumidor mais seletivo, exigente e receoso para investir em imóveis. Hoje, o setor vive um período de ajuste, que muitos já consideram como crise. Mas este ainda é um momento em que as empresas podem sofrer menos com as vendas, mesmo com tantos obstáculos.

Esse cenário de crise faz com que se configure um momento propício a organizar e rever processos, se concentrar ainda mais em um trabalho eficiente na condução de projetos e leitura de mercado. Temos que nos reinventar e sairmos da zona de conforto para deixarmos nossa empresa e nossos negócios mais seguros e enxutos.

Vamos às dicas:

  • Invista em qualidade

Ao mesmo tempo em que a crise financeira traz dificuldades e incertezas, também serve como ensinamento.
Nesses momentos, quem consegue se manter firme e aprender certamente sai mais forte e preparado para encarar a concorrência e os novos tempos. Invista energia naquilo em que você tem o poder de mudar. Melhore seu produto para ser mais confiável, durável, diferenciado e com melhor custo x benefício. Seu cliente agradecerá pela qualidade encontrada e poderá ficar mais fidelizado à sua empresa.

Invista em qualidade

  • Seja realista

Preços mais realistas, boas condições de negociação, planos de financiamento que realmente auxiliem o fechamento de negócios e uma baixa inadimplência em sua carteira, tudo isso ajudará você nesses tempos de crise. Contudo, se por um lado o número de negócios tem diminuído em decorrência da retração do mercado, por outro a demanda por moradia no país continua existindo. Assim, uma aquisição agora, com um preço menor, pode significar um bom negócio no futuro.

Crise econômica dinheiro

  • Ofereça diferenciais e seja criativo

Em tempos de apreensão e insegurança, é natural que a competitividade aumente — todo mundo quer mostrar que é indispensável. A construtora pode estabelecer alianças comerciais que beneficiem diretamente o cliente. Por exemplo, fazer parceria com uma loja de decoração para que o novo proprietário do apartamento tenha descontos. A ideia é agregar valor à venda, de forma que o cliente também receba vantagens. Estamos em um período de comoditização dos produtos e serviços e, neste contexto, a indicação passa a ser mais um grande diferencial competitivo.

A criatividade poderá ser uma grande aliada nestes momentos. Pense em como atrair o cliente e deixá-lo mais satisfeito. Estude melhor o mercado, os produtos utilizados e os métodos construtivos para que as idéias geradas por seu esforço criativo agregue mais valor ao produto final, aumente a liquidez e/ou reduza seu custo sem diminuir qualidade.

  • Não descuide do marketing e divulgação

A maioria das pessoas interessadas em adquirir um imóvel usa a internet para fazer pesquisas. As empresas em geral não podem desperdiçar essa oportunidade. Cuide para que o site da empresa seja responsivo – o que permite a visualização em smartphones e tablets, dispositivos mais utilizados para acesso à web e obtenha um bom posicionamento nas buscas e pesquisas realizadas na mesma. Seja objetivo e claro nas informações sem desperdiçar o tempo do seu cliente. Tenha claro o foco em suas estratégias de marketing e evolua nas negociações conforme o interesse do cliente para não ser insistente sem o devido respeito e bom senso.

Crise econômica pensativo

  • Avalie seu custo-benefício

Crises financeiras trazem consigo muita cautela. Isso significa que os clientes e consumidores ficam mais cuidadosos na hora de fechar negócio, e, sem dúvidas, vão querer negociar os preços!

É uma boa oportunidade para as empresas reverem seu portfólio. Depois de uma avaliação talvez você perceba que vale mais a pena focar em poucos produtos que dão mais resultado e resolva deixar de lado outros menos procurados ou menos rentáveis. Outra dica: verifique o que seu concorrente está oferecendo e faça uma avaliação do custo x benefício do seu produto. Você não precisa ser o mais barato do mercado, mas deve ter motivos convincentes para o cliente optar por você. Esteja preparado, portanto, para ouvir abertamente as contrapropostas realizadas, analise-as bem e decida-se com calma. Lembre-se de que a venda de um imóvel é uma via de mão dupla.

Custo benefício crise

  • Tenha uma postura assertiva

As construtoras devem voltar o seu olhar às pessoas e prestar mais atenção em como o cliente está consumindo. Saber como vender imóveis na crise e orientar sua equipe de venda para isso pode não ser a coisa mais fácil do mundo. Mas é algo possível! Seguindo estas sugestões você estará no caminho certo e com certeza conseguirá aumentar os negócios de venda sob sua responsabilidade, agradando tanto a construtora quanto o comprador. É preciso tirar o viés pessoal das análises racionais. Faça um esforço para enxergar, de fato, o que ocorre na empresa e no mercado. Isso amplia as possibilidades e suas referências.

  • Acredite e tenha fé que as mudanças serão para melhor

São nos momentos difíceis que historicamente nos voltamos ao sagrado e aumentamos nossa fé. Essa é uma ótima hora para desenvolvermos nossa auto-confiança, darmos um sentido às dificuldades vividas com aprendizados preciosos. Acreditamos que nossa boa vibração e nosso melhor para o bem coletivo sempre terá o patrocínio do Universo com retornos favoráveis. Confie, entregue, aceite e agradeça que as coisas se encaixarão no tempo certo e da melhor maneira possível para todos os envolvidos.

Concluindo: a crise vem para todos, mas não são todos que conseguem lidar com ela. É preciso se adaptar rápido,  se comprometer em compreender novos cenários possíveis de atuação. Este é um excelente momento para sairmos da zona de conforto e lapidarmos nosso negócio agregando mais valor com uma melhor relação custo x benefício, bem como divulgarmos com mais eficiência e tratarmos melhor nosso cliente.

Fé na crise

Um bom profissional consegue analisar qual é a real situação, avaliar as alternativas e colocar em prática ideias que contribuam para que a empresa consiga superar esses momentos ruins, mantendo a equipe engajada e comprometida com objetivos nobres e coletivos.

Nós da Borgesi Engenharia estamos prontos para gerar a plena satisfação que nossos clientes buscam com o melhor dos nossos serviços e produtos. Venha conhecer o Edifício Pitágoras e comprovar toda a nossa filosofia positiva. Aguardamos seu contato… Um abraço.

Júlio Borges

Quais os valores principais numa boa relação cliente x fornecedor

Fornecedor reunião

Foi-se o tempo em que para ser um bom fornecedor bastava apenas entregar o produto ou serviço contratado no prazo. Hoje isso é o mínimo. Saber o que se espera dos fornecedores é essencial para a garantia de melhores resultados no seu negócio, facilitando os processos, tranquilizando a força de trabalho e satisfazendo o cliente. Por isso, é fundamental que os empreendedores de pequeno e médio porte, cuja sobrevivência do negócio depende de uma outra empresa cliente, saibam o que esperar de um bom fornecedor e escolher bem para a prosperidade do negócio de ambos.

E para nós do ramo da construção civil, para que uma obra seja entregue no prazo e mantenha elevado padrão de qualidade é fundamental contar com fornecedores eficientes e que consigam suprir todas as demandas do canteiro. Os fornecedores são elos fundamentais dentro do processo, pois fornecem os insumos necessários para que a empresa atenda com seus produtos ou serviços o cliente ou usuário final. Porém para garantir a qualidade do nosso produto / serviço, o fornecedor deve atender aos nossos requisitos ou especificações .

Para que você, fornecedor, possa entregar o melhor produto e garantir a satisfação de seus clientes, desde a concepção do projeto até a entrega da obra, preparamos algumas dicas bem importantes que ajudarão nesse processo de avaliação e critérios que uma empresa valoriza em um fornecedor. Confira agora 5 critérios que avaliamos em um bom fornecedor para nossa empresa. Acompanhe!

Fornecedor reunião

  • Agilidade / Respeito

Bons fornecedores para obras são aqueles que cumprem os prazos de entrega e não impactam o planejamento do canteiro. Agilidade e flexibilidade de prazos são alguns diferenciais importantes na hora de contratar o melhor fornecedor. Mesmo as empresas que possuem processos rígidos e bem definidos sabem trabalhar de maneira a se adequar às necessidades do cliente. Optar por fornecedores que consigam compreender suas demandas e saibam encaixá-las de modo a nunca deixar sua empresa na mão. Sabemos que o cumprimento dos prazos depende da negociação, mas o fornecedor que se prontifica a flexibilizar suas operações para atender um cliente demonstra um cuidado com o sucesso do seu negócio e também com a manutenção da parceria. Cumprir o prazo acordado já não está sendo diferencial para os fornecedores. As construtoras estão buscando por empresas que tenham alguns diferenciais de mercado como, por exemplo, agilidade no prazo de entrega (frente a seus concorrentes), realizar entregas imediatas e processos de compra sem burocracia.

Entrega de produtos fornecedor

  • Preço

Um bom relacionamento com os fornecedores também é a porta para negociações de prazo e preços. Prazos de entrega curtos podem colocar sua empresa um passo mais à frente de seus concorrentes, reduzindo assim a necessidade de grandes estoques, diminuindo riscos e perdas. As melhores condições de pagamento – seja um preço com desconto ou um parcelamento diferenciado – também pode reduzir o peso da matéria-prima sobre seus custos. O fornecedor deve ser capaz de oferecer preços competitivos, não significando necessariamente o menor preço. Trata-se de lógica. Em tempos de crise ou não, queremos qualidade, preço justo e um excelente atendimento.

  • Qualidade

A qualidade também é essencial. Este ponto é indiscutível e inegociável. Escolher fornecedores de boa qualidade é essencial não apenas para as vendas, mas também para a fidelização dos seus clientes. Consumidores insatisfeitos dificilmente repetem a experiência de compra. Além disso, um produto de qualidade duvidosa é extremamente prejudicial para a reputação da sua empresa ou produto. É comum vermos obras que, mesmo depois de prontas, ainda terem uma equipe de manutenção corrigindo os erros cometidos durante a execução do empreendimento devido a materiais de baixa qualidade ou danos causados posteriormente. O diferencial de qualidade é um ponto extremamente importante mas que exige uma sintonia muito grande entre as partes para se chegar no melhor custo x benefício. Nem sempre o maior fornecedor é o que tem mais qualidade, assim como o produto ou serviço mais caro não é garantia de ser o melhor. Exige do contratante Know how e sabedoria para contratar.

Qualidade material fornecedores

  • Credibilidade e Competitividade

Uma das características fundamentais de um bom fornecedor é a credibilidade. Por isso, é válido buscar por fornecedores sérios e que tenham experiência em sua área de atuação. Isso faz com que eles tenham um nome a zelar e com certeza vão preservar essa característica difícil de adquirir para estreitar ainda mais o vínculo entre as partes. A credibilidade de uma empresa tem relação direta com a formalidade e a legalidade. Empresas que têm uma marca consolidada no mercado estão sempre atentas à legalidade de seus produtos e processos, e tratam suas negociações com a devida formalidade e respeito necessários. Já com relação a competitividade, hoje em dia uma empresa não pode ser competitiva de forma isolada. Ela faz parte de uma cadeia de compradores / fornecedores que tem como objetivo final a satisfação dos consumidores. Estamos numa era de pressão competitiva e a necessidade de melhorar os processos nunca foi tão intensa como agora. Cada vez mais a relação de confiança entre cliente e fornecedor torna-se um diferencial em um mercado tão competitivo.

  • Fidelização e Parcerias

Hoje entre cliente e fornecedor procuram desenvolver um clima de confiança mútua onde ambos saem ganhando, gerando desta forma uma parceria entre eles. Nesta parceria, o fornecedor ajuda no desenvolvimento do projeto e do produto, na análise e melhorias do processo produtivo de seu cliente, garante a qualidade e fornece um termo de garantia pós contratação de acordo com as normas legais. Quando essa parceria atinge elevado grau de evolução gerando confiança mútua, participação e fornecimento com qualidade assegurada, certamente a parceria é frutífera! Uma parceria com um fornecedor requer condições diferenciadas de compra, poder de negociação e melhores preços em troca de exclusividade. Por exemplo, assinar um contrato de longo prazo ou de grande escala são diferenciais dessa fidelização.

Parceria cliente e fornecedor

Como já vimos, existem motivos financeiros para cultivar um bom relacionamento com os fornecedores. Mas também existe um motivo bem mais simples: manter um ambiente de trabalho saudável e equilibrado. Quando a relação com o fornecedor é de confiança e amizade, mesmo que algum problema eventualmente apareça, ele pode ser resolvido através de uma conversa aberta e honesta. A relação não fica sob tensão e a parceria não se desfaz na primeira dificuldade. As construtoras buscam realizar parcerias por uma questão de estratégia, normalmente com empresas responsáveis que fornecem os materiais de qualidade e com preços justos. Na relação de parceria, todos se beneficiam. O importante aqui é entender as necessidades do cliente, com melhor custo x benefício e oferecer condições interessantes para ambas as partes onde a margem de lucro é satisfatória.

Fidelização e parceria cliente fornecedor

Essas são algumas dicas que podem auxiliar nesse minucioso processo de escolha do melhor fornecedor. Com valores extras como cortesia, educação, eficiência e qualidade no atendimento, o cliente sentirá segurança e satisfação. Será surpreendido positivamente e garantirá a próxima compra bem como a indicação à outros futuros clientes.

A Borgesi Engenharia sempre estará nos dois lados dessa moeda, uma hora sendo uma cliente empresa exigente e responsável na contratação de seus fornecedores, na outra face sendo a fornecedora de produtos confiáveis, com preços justos e de extrema qualidade valorizando a parceria com clientes fiéis e satisfeitos. Tudo sempre na mesma energia de se fazer o melhor para todos ganharem!

Aprendeu como captar bons fornecedores para obra ou empresa? Agora não deixe de compartilhar nas redes sociais e ajude também seus amigos a escolherem os seus parceiros comerciais!

Convívio Social dentro do Apartamento: Sala Estar, Jantar, Cozinha e Varanda Gourmet

Amigos convívio social

Imagina ter um espaço em casa que seja assim, super criativo e confortável, para poder curtir com a família e os amigos? Por isso a dica hoje é sobre o convívio social nas diversas áreas da sua casa com toque de requinte, sofisticação e praticidade!

Para começar, é muito importante atentarmos para a definição de três coisas:

  • A primeira é para a escolha de cores, pois influenciam no humor e na vida das pessoas que ali ficarão.
  • Os materiais também são muito importantes, pois terão que dar aconchego para os ambientes.
  • E por último mas não menos importante, é a funcionalidade, pois este fator conta muito para deixar os ambientes práticos para serem explorados e mantidos.

Importante salientar que os apartamentos hoje estão bem menores e os moradores recebendo mais convidados.

Amigos convívio social

A principal dica na hora decorar, e isso vale para qualquer ambiente da casa, é planejar o projeto de acordo com as limitações do espaço. O primeiro passo para o conforto é priorizar a circulação entre os móveis e não dispor peças maiores que a metragem disponível. O equilíbrio é fundamental, até mesmo para a harmonia das estampas e cores.

No caso das cozinhas integradas, por exemplo, tudo mudou com o passar dos anos. Antigamente as cozinhas eram um local frequentado apenas por cozinheiras; as refeições eram servidas nas copas ou nas salas de jantar.

Convívio social cozinha integrada

Essa modificação começou através de pequenas aberturas da cozinha para o ambiente de jantar pelas quais os pratos eram passados. Em seguida vieram os balcões e bancadas em vãos abertos, mais conhecidas como cozinhas americanas. As cozinhas americanas caíram no gosto dos brasileiros, pela sua praticidade e integração com os familiares e convidados. O papo gira ao redor da mesa de jantar ou bancadas, que integra a cozinha no restante da sala. Vale salientar que o espaço tem que ser charmoso e a decoração caprichada desde a escolha dos utensílios, cores dos móveis da cozinha etc. Para não errar na escolha das cores e estampas é importante identificar o estilo de decoração e o design da mobília inserida nas salas de jantar e estar, para uma correta composição.

Convívio social amigos

Não podemos deixar de dar atenção também à sala de estar que normalmente está ligada com a de jantar. Este ambiente é dedicado para o descanso, descontração e convívio social da família. Por ser um dos ambientes mais visitados da casa, merece uma decoração especial que transmita tranquilidade, sensação de relaxamento e principalmente que mostre a personalidade de todos aqueles que dividem a casa com você.

Convívio social sala de jantar

A escolha das cores em móveis e estampas tem que ser bem pensada e harmonizada com o restante. No mobiliário vale a pena investir em um bom e confortável sofá, poltronas, tapetes, almofadas e estantes para a TV. Evidenciar elementos da marcenaria, como prateleiras que recebem luz embutida, ou a mesa de centro e de jantar com um lustre baixo e de luz quente, funciona bem. A ideia é que a iluminação desses espaços seja versátil. Além disso, não esqueça que a escolha dos revestimentos das paredes e pisos são fundamentais, pois são eles que determinarão, além do decorativo, a temperatura dos ambientes.

A iluminação é um dos elementos mais envolventes da decoração, além de ser fundamental para dar o clima certo a cada tipo de ambiente, ela também está ligada ao nosso metabolismo e influencia diretamente na nossa qualidade de vida. Seja dentro de casa ou em áreas afins, o uso correto da luz interfere, e muito, na dinâmica dos espaços.

Sala de estar luxo convívio social

A cor não pode ser deixada de lado, pois deixam os ambientes jovens e alegres. A utilização em móveis, almofadas, quadros e adornos ajudam bastante para dar este clima alegre e vibrante. Fotografias de pessoas da casa e amigos especiais dão vida e alimentam recordações com boas conversas. Já os tons neutros é a opção ideal para quem gosta de renovar sempre com frequência o ambiente, pois permite alterar os objetos simples como almofadas, flores e enfeites que darão uma aparência renovada ao cômodo.

Sala de estar moderna

Já a varanda gourmet passou a ser o espaço preferido para o convívio social e familiar, por isso o crescimento da procura desse ambiente nos novos projetos de apartamentos. A “varanda gourmet” é na teoria um espaço com churrasqueira, mas o termo ficou tão popular que é usado para denominar qualquer varanda que tenha espaço suficiente para se ter qualquer tipo de convívio. Seja ela com churrasqueira ou não, o fato é que cada vez mais os compradores buscam esse tipo de característica nos apartamentos e muitas vezes pode até ser o fator principal na escolha de um imóvel.

Varanda gourmet convívio social

Uma varanda gourmet precisa basicamente de três itens: churrasqueira, pia e uma pequena área de circulação (área de estar) onde ficarão posicionados alguns mobiliários. Um espaço como esse tem que ser confortável e funcional para que a experiência seja realmente de descontração total. A decoração pode seguir a linha dos outros ambientes, mas é sempre bom dar uma colorida e usar móveis de madeira rústicos para dar um ar alegre e aconchegante. As bancadas têm que ser práticas, de materiais apropriados e de fácil manutenção e limpeza.

Varanda gourmet apartamento

Todos os ambientes deverão ser bem pensados e programados para não ficarem sem harmonização. Além disso, a tendência de integrar ambientes surgiu, principalmente, para valorizar ambientes de convívio social e lazer.

Pronto! Agora você já tem várias dicas para melhorar esses espaços de convívio social e poder curtir com seus amigos e família. Conheça nossos empreendimentos prontos e visite o Ed. Pitágoras em fase final de construção, com sala de estar, jantar, varanda gourmet e muito mais! Tudo bem planejado, com acabamento alto luxo para seu maior conforto. Aproveite!

Contato marieta

Segurança física x Segurança eletrônica

A segurança é essencial no dia a dia do brasileiro, tanto no ambiente familiar, quanto no ambiente corporativo. Diante das notícias de violência que são repercutidas diariamente, é essencial contar com boas alternativas de segurança. Pensando nisso, o tema abordado hoje é sobre a diferença entre uma segurança física para uma eletrônica. Sabe como funciona esse tipo de segurança? Quer saber mais sobre suas vantagens? Então confira!

Nos dias de hoje com a tecnologia disponível à custos menores, é essencial contar com boas alternativas de segurança, principalmente em condomínios onde o acesso de pessoas é intenso, sejam de moradores, visitantes ou prestadores de serviços. Pensando nisso, uma ferramenta que vem sendo bastante utilizada ultimamente é a portaria eletrônica com câmeras, monitores e sensores. É uma forma moderna de administrar e controlar esse fluxo, além de trazer muitas vantagens para moradores e clientes.

Seguranca física porteiro

A segurança dos condomínios e consequentemente de suas portarias, é um dos itens que mais gera preocupação e gastos aos empreendimentos residenciais. Neste cenário, um aliado que tem ganho espaço no mercado são os sistemas de portaria eletrônica, que substituem a figura do porteiro e prometem aprimorar o controle de acesso de pessoas e veículos, barateando as despesas fixas mensais pagas pelos condôminos. É ideal para qualquer condomínio possuir profissionais qualificados para o atendimento e ferramentas eletrônicas para identificação de pessoas e veículos. Sabemos que o custo para manter o “sistema ideal” é grande, então se for para optar pela solução que trará o melhor resultado em termos de segurança, opte pelo eletrônico, por vários motivos.

São muitas as vantagens de um sistema de segurança eletrônica:

– Tecnologia de ponta

Uma das primeiras e principais vantagens é melhorar a qualidade de vida das pessoas que estão dentro da empresa ou de todo tipo de ambiente, garantindo proteção, evitando furtos ou outros perigos. A fim de garantir a proteção do maior número de pessoas, os sistemas de segurança eletrônica estão cada vez mais acessíveis, apresentando excelente custo-benefício e dispensando a necessidade de um segurança em tempo integral.

Com a chegada de novas tecnologias, o serviço também oferece comodidade já que muitos sistemas possuem personalização, com câmeras em alta qualidade e nitidez. Tudo isso facilita a visibilidade do ambiente e o usuário pode acompanhar o que está acontecendo direto de seu smartphone ou tablet, de qualquer lugar onde esteja. Isto evita a presença física e diretamente no local para este tipo de monitoramento, protegendo o usuário de uma abordagem perigosa ou suspeita.

Câmera de segurança smartphone

Portaria física condomínio

– Economia e baixo custo de manutenção

A economia feita ao se adotar ferramentas de segurança eletrônica é facilmente percebida. O monitoramento de diversos sistemas diferentes poderá ser feito a partir de um único terminal. Além disso, a manutenção é feita por um único profissional, que é capaz de analisar todo o equipamento e fazer as devidas correções rapidamente. Se compararmos o valor gasto com uma portaria 24H por um ano, o valor médio estará em torno de R$ 150.000,00. Com este valor é perfeitamente possível criar um forte esquema de segurança eletrônica e nos anos seguintes esta verba pode ser totalmente revertida para outras finalidades e melhorias no prédio.

– Equipamento de boa qualidade não falha

O projeto deve ser bem ajustado e dimensionado de acordo com as particularidades de cada local, a escolha da tecnologia adequada e principalmente com relação a qualidade dos produtos e qualificação da empresa integradora. O ser humano pode falhar na identificação, o equipamento eletrônico pode apresentar problema, é diferente. As imagens das câmeras são gravadas e em qualquer momento pode -se buscar toda a memória de dados armazenada.

Segurança eletrônica câmeras

– Modernização e valorização do imóvel

Quem não gosta de modernidade? Vamos ao banco, temos que colocar a digital para sacar dinheiro, temos meios de identificação eletrônica por todas as partes, e em nosso condomínio não?  A proposta dessa modernidade predial torna o seu prédio inteligente, aumenta a segurança num todo, valoriza os apartamentos, e ao invés de 1 porteiro tomar conta das câmeras, todos os condôminos podem ter a visualização das mesmas! Hoje em dia o custo de serviços de porteiros está muito caro para prédios que possuem poucos apartamentos, aumentando e muito a mensalidade do condomínio. Com a tecnologia a nosso favor podemos substituir 100% dos porteiros por um sistema automatizado para portarias com leitor biométrico, barreiras de proteção  entre outros.
E com isso a valorização do imóvel pode chegar até 15% em algumas regiões.

– Aumento da segurança e do controle

Outra vantagem é que a portaria virtual agrega mais segurança ao condomínio pois impossibilita a rendição da portaria. Ao invadir um condomínio, o primeiro objetivo dos criminosos é controlar a portaria principalmente por ser uma posição estratégica no prédio e o porteiro não oferecer nenhuma resistência por não poder estar armado. . Em um sistema de portaria eletrônica isso não é possível. Além disso, com a redução de custos mensais com a mão de obra, é possível incrementar sistemas tecnológicos mais modernos de segurança, implantando mais câmeras e sensores de presença, além de sistemas de controles remotos com botão de pânico acionados caso o morador perceba alguma situação anormal. Os elevadores exclusivos com código de acesso para cada apartamento são fundamentais para a segurança interna evitando que pessoas não autorizadas embarquem nos elevadores e circulem pelos andares do condomínio.

Câmeras de segurança eletrônica

– Portabilidade e flexibilidade

Uma vez que o sistema pode funcionar por meio de wireless e em conjunto com uma rede, você pode acessar todo o sistema local ou remotamente. É possível que o sistema de segurança eletrônica seja configurado de acordo com suas necessidades. Ou seja, você pode monitorar qualquer tipo de estabelecimento à qualquer tempo.

Concluindo, os sistemas de segurança eletrônica estão em constante atualização acompanhando as novas tecnologias. Por isso, a Borgesi Engenharia também se preocupa com este item de extrema importância e diferenciação criando a infra-estrutura necessária para que a maioria dessas estratégias de segurança estejam presentes em seus empreendimentos. Conheça o Ed. Pitágoras, projeto inovador, moderno e inteligente, com padrão alto luxo e localização nobre no melhor ponto do Liberdade/Jaraguá.

Mercado imobiliário: boas perspectivas e melhor momento para negociar

Mercado imobiliário 2017

Mercado está confiante na retomada do setor, principalmente pela queda nos juros, liberação de recursos do FGTS inativo capitalizando clientes, e inflação em desaceleração. Esses fatores devem impactar positivamente o setor imobiliário.

Mercado imobiliário 2017

A perspectiva de crescimento do PIB, após dois anos seguidos de resultados negativos, e a retomada, desde o início do ano da queda na taxa de juros pelo Banco Central, foram o bastante para que o mercado imobiliário elevasse sua confiança. Para 2017, o setor prevê um crescimento no número de lançamentos, em relação ao ano passado e a tendência é que este ano o setor retome seu equilíbrio.

De acordo com especialistas, o segmento apresentará recuperação lenta e gradual, mas será bem diferente do que foram os últimos dois anos, podendo atingir um crescimento de até 10% nas unidades comercializadas em comparação a 2016, ano em foram financiados 199,7 mil imóveis, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Alguns fatores que podem favorecer a recuperação do setor imobiliário em 2017 são:

  • Inflação em desaceleração;
  • Redução da taxa de juros;
  • A queda na taxa de financiamento interbancário;
  • Liberação dos saques do FGTS inativo
  • Expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB)
  • Recuperação do emprego e da renda das famílias
  • Novos investimentos no Brasil.

Contas inativas FGTS

E para ajudar a impactar positivamente a economia do país o governo federal trabalha com a projeção de injeção de R$ 30 bilhões na economia brasileira neste ano com a liberação dos saques do FGTS inativo. A medida deve movimentar 0,5 % do Produto Interno Bruno (PIB). Para o governo, a iniciativa pode levar de forma rápida à redução do endividamento das famílias, contribuindo para a volta do crescimento econômico.

O mercado imobiliário aposta que uma fatia desse capital que chega ao bolso dos brasileiros possa ser investida na compra de imóveis, e vê com otimismo a medida, que somada a outros fatores, pode indicar uma caminho para a saída da crise que ainda afeta o setor.

Por outro lado, a recuperação do emprego e da renda das famílias, que também são componentes fundamentais para a reação do mercado, deverá demorar um pouco mais para ocorrer, pois dependerá do reaquecimento da economia com um todo. Ao mesmo tempo, o governo tem sinalizado firmemente que pretende obter um reequilíbrio fiscal, mediante a reforma da Previdência, do limite de gastos públicos e outras medidas. Isso é muito relevante para que investidores e famílias voltem a ter confiança e invistam em projetos de empreendimentos de longo prazo, como são os do mercado imobiliário”, explica Odair Senra, vice-presidente de Imobiliário do Sindicato da Construção (SindusCon-SP).

A mais recente pesquisa sobre o segmento imobiliário do país, realizada pela FIPE – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, e publicada com exclusividade pela Revista EXAME em maio, traz dados que indicam que esse é o melhor momento da última década para quem esta capitalizado e quer negociar a compra de um imóvel.

Diante do cenário avaliado pela pesquisa, os analistas e representantes do setor imobiliário afirmam que agora é a hora certa para negociar. Para muitos, a crise já chegou ao fundo do poço. O próximo passo é a recuperação, o que elevaria progressivamente os preços dos imóveis.

Mercado imobiliário perspectivas

Financiamento imobiliário

O importante agora é o consumidor ficar atento à retomada da economia. Portanto, agora é a hora de investir!

E pra você que quer aproveitar essa oportunidade do mercado aquecendo e investir na compra de um imóvel novo, fale conosco! Temos unidades de apartamentos alto luxo disponíveis no Ed. Pitágoras.

Nova regra de altimetria aplicada pela Aeronáutica impacta construções em BH

Aeroporto nova regra altimetria

Comando da Aeronáutica definiu nova regra para edificações próximas de terminais aéreos em todo o país

Para aumentar a segurança dos vôos, uma portaria da Aeronáutica reduz em até 100 metros a altura de novas edificações na capital e vai exigir adequações na Lei de Zoneamento. A norma, que busca padronizar limites de altura, foi implementada em todos os aeródromos do País.

Aeroporto nova regra altimetria

No dia 15/10/2015, passou a vigorar a disposição do Comando da Aeronáutica que alterou por meio de portaria (957/GC3) as normas que regulam os aeródromos no Brasil. Impactando quase 200 municípios, o documento dispõe sobre as restrições aos obstáculos no entorno de aeródromos, sobretudo prédios que possam afetar a segurança da operação aérea. A decisão revoga a antiga Portaria no 236/2011 e visa a enquadrar as normas do País à legislação da Organização da Aviação Civil Internacional (Icao, na sigla inglês). Os processos de empreendimentos protocolados após a validade da portaria serão submetidos às novas regras.

Com a mudança, em um raio de até 4 quilômetros no entorno dos aeroportos brasileiros (região conhecida como Área Horizontal Interna), o limite de altura para construção de obstáculos (prédios, antenas e torres) será de 45 metros a partir do nível da pista – o equivalente a um edifício de 15 andares.

Segundo o arquiteto da Secretaria de Planejamento Urbano, a altura máxima dos prédios de cada região será definida pela topografia do terreno. “A altura máxima dos prédios levará em conta a altitude do terreno e a zona de proteção do aeródromo incidente sobre o terreno”, disse.

A mudança atinge, em especial, o entorno de 32 aeroportos brasileiros, entre eles os de 14 capitais e alguns dos mais importantes do País, como Cumbica, Congonhas, Galeão e o Aeroporto da Pampulha. Até então, esses locais seguiam planos específicos de proteção, e muitos tinham limites acima dos 45 metros em suas proximidades.

Aqui em BH a situação não é diferente. A portaria do Comando da Aeronáutica limita a altura das novas edificações na capital em um raio de até 15 km do Aeroporto da Pampulha. De acordo com o Sinduscon-MG (Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais), a nova legislação afeta cerca de 70% da área construtiva de Belo Horizonte, engenheiros e arquitetos da construção civil temem que a região perca investimentos.

“A região do Aeroporto da Pampulha já está numa cota muito baixa. Quando vai se afastando do aeroporto, não se pode construir nada, pois a altitude é maior”, explica Athos Martins Bernardes, diretor de Legislação Urbana do SindusCon-MG. Segundo um estudo preliminar feito pela prefeitura, em cerca de 47% da área da cidade, só se pode construir até 30 m. “O impacto é enorme”, diz.

Mudança nas regras da construção civil

Com a nova regra, à partir de agora edifícios que ultrapassarem a altimetria máxima estabelecida pela nova determinação devem ser analisados pelo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) que fica em Brasília. Órgão responsável por aprovar a altura dos prédios e torres das regiões próximas aos aeroportos. Até o ano passado a aprovação era feita pelas prefeituras. Recomendamos  consultar o site do órgão para se informar sobre a documentação e procedimentos necessários.

Aparentemente, a burocracia é imensa e não estão preparados para a demanda criada pela nova portaria. São poucos examinadores para todo o Brasil (em torno de três).

Aeroporto da Pampulha (MG)

Localização: Bairro São Luiz – Belo Horizonte
Cidades atingidas: Belo Horizonte, Betim, Confins, Contagem, Esmeraldas, Ibirité, Lagoa Santa, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Raposos, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, São José da Lapa, Vespasiano
O que mudou: O aeroporto tinha diversas áreas com alturas-limite calculadas de acordo com a topografia do terreno, que varia bastante. Com a nova regra, ficou estabelecido que, dentro da AHI, só se pode construir até o limite de 834 m de altitude. Porém, há bairros populosos no entorno, como, por exemplo, Santa Mônica, Santa Cruz e Ouro Preto, que possuem altitude acima do permitido, onde não haverá mais potencial para construção de prédios
Impacto para o mercado: “Está calamitosa a situação. A restrição que está sendo gerada não acompanha o benefício da cidade. O nosso aeroporto no meio da cidade, que é o Pampulha, já está numa cota muito baixa. Quando vai se afastando do aeroporto, não se pode construir nada, pois a altitude é maior. Se você for seguir à risca a portaria, em 47% da área da cidade só se pode construir no máximo até 30 m de altura. Desse jeito que ficou, nós temos lotes que estão a 10 km do aeroporto, e você não pode construir”. (Athos Martins Bernardes, diretor de Legislação Urbana do Sinduscon-MG)

Aeroporto Internacional de Confins (MG)

Localização: Rodovia LMG 800, km 7,9, s/nº – Confins-MG
O que mudou: Como o aeroporto não estava abrangido por plano específico, o Decea não confeccionou o PBZPA. Até o fechamento desta edição, em meados de dezembro, a administração aeroportuária responsável por Confins não apresentou o plano básico. Dessa forma, o Cindacta protege as superfícies do aeródromo, analisando caso a caso com base nos mapas cartográficos.
Impacto para o mercado: “Como Confins está longe de qualquer grande aglomeração urbana, ninguém está preocupado com o impacto dessas regras lá. Não há um interesse muito grande por parte do mercado imobiliário” (Athos Martins Bernardes, Diretor de Legislação Urbana do Sinduscon-MG)

O Sinduscon-MG teme pelo aumento da burocracia na aprovação dos empreendimentos. Antes de passar pela prefeitura, os novos projetos devem ser encaminhados para análise do Cindacta I (Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo), que também é responsável pelos Estados de Goiás, Tocantins e o Distrito Federal. “Antes, eram em torno de 100 projetos por mês analisados pela Aeronáutica, que levava, em média, 120 dias para dar resposta Com a mudança,só BH deve enviar 200 a 250 projetos por mês, fora os demais Estados. E isso com a mesma estrutura organizacional. A aprovação ou não dos edifícios pode levar até dois anos”, reclama o diretor do Sinduscon-MG.

Além disso, uma das brechas para escapar dos novos limites impostos, é utilizar o chamado efeito-sombra. “Onde já existem edificações construídas de forma regular, com alturas superiores às permitidas pela nova portaria, poderá ser criado uma espécie de guarda-chuvas, que possibilitará a construção de empreendimentos com alturas próximas”, detalhou Bernardes.

Desta maneira, nós da Borgesi Engenharia acreditamos que o mercado futuro da Construção Civil em Belo Horizonte ficará afetado com essas novas limitações construtivas e o excesso de burocracia para se aprovar um projeto. O empreendedor terá uma incerteza enorme quanto à confirmação ou não da altura que poderá construir em determinado local e o prazo que a Aeronáutica retornará com essa informação fundamental à viabilidade técnica do empreendimento. Com isso, se não houver uma mudança na estrutura de avaliação dos novos projetos e/ou uma flexibilização na lei,  poderemos ter num futuro próximo empreendimentos menores, piores e mais caros como consequência desta nova regra.

Enfatizamos então aos interessados por imóveis novos e futuros clientes que estamos numa fase de transição e divisor de águas. Os empreendimentos aprovados antes de Out/2015, como o Edifício Pitágoras que estamos na reta final, tem um custo x benefício melhor já que nasceram sem essas restrições construtivas. As plantas são melhores trabalhadas com uma liberdade maior de criatividade, concepção arquitetônica e valor agregado.

Venha conhecer nossos imóveis e aproveitar as últimas unidades à venda.